Sexta-feira, 29 DE Julho DE 2011

A matança do porco

Porco

Muitas famílias de Vila Lobos criam o seu porco durante meses, até que chega uma altura em que decidem proceder ao seu abate. Normalmente costuma-se matar no mês de Dezembro ou Janeiro

Alguns homens e rapazes, normalmente 4 ou 5, e uma mulher participam na matança. Este abate é feito com o “facão”, que geralmente é uma faca longa e afiada, a qual é cravada num só golpe no pescoço do suíno em direcção ao coração, geralmente quem faz o abate é um homem com experiência, para o animal não sofrer.

O sangue escorre então abundantemente para dentro de um alguidar, que vai sendo mexido por uma mulher, para não coalhar, com este sangue  fazem-se as chouriças moiras (enchidos chamados de sangue). Outra parte do sangue não é mexido, é cozido aos bocados, para depois ser temperado com açúcar, chamado em Vila Lobos (sarrabullho).

Depois de sangrado, o porco é raspado. Para tal recorre-se ao fogo, com umas lumieiras de palha, passando pela pele do porco, hoje é usual utilizar um maçarico, para queima dos pêlos e da primeira pele, com um pedaço de telha ou um pedra “Raspadeira”, é vigorosamente passado pelo animal assim que passa o fogo, para raspagem e respectiva limpeza, com água ao balde, ou mangueira, lava-se o porco.

Abre-se de seguida um rasgão na pele que antecede os tendões das patas traseiras, para se pendurar o porco no “Chambaril” peça em madeira arqueada ou de ferro,  pendura-se numa trave forte com uma corda. Um homem hábil abre da parte traseira até ao queixo do porco, retiram-se os órgãos e demais tripas, as tripas, depois de limpas, servem para fazer os tradicionais enchidos, depois de lavado o interior do animal, deixa-se a carne esfriar até ao outro dia, coberto com um pano branco.

 

 

 

Chambaril –-- Pau curvo que se coloca nas patas traseiras do porco para se pendurar.

Lumieira –---- Pequeno molho de palha, também servia de candeia antigamente.

Publicado por Vila Lobos às 23:12
Terça-feira, 26 DE Julho DE 2011

Agricultura em Vila Lobos

Em Vila Lobos, cultiva-se trigo, batata, centeio e milho, com destaque para a batata, já que é o que mais se produz, actualmente só para consumo uma vez que a desertificação chega a todo lado e Vila Lobos não é excepção. Também se cultiva uma variedade de hortícolas, mas isso só mesmo para consumo. Todos estes produtos são semeados e colhidos em várias fazes ao longo do ano, que têm um nome específico para cada fase, que são: a sementeira; bessada; segada; malhada; arranca e a desfolhada, estes são os principais, mas pelo meio há outros trabalhos tais como: acartar o estrume para as lameiras; o engaço; o sacho das batatas e do milho;  rega; carreta e a colheita do feno.

 

A sementeira-Outubro

 É feita em Outubro, que consiste em semear o trigo ou centeio, depende do que o dono do terreno quer semear. Depois da arranca das batatas os terreno fica mexido, como se tivesse lavrado, tirasse toda a rama das batatas, palha e ervas secas com o engaço e queimasse em montes espalhados pela lameira, quando o terreno estiver limpo espalhasse ao lanço o trigo, de seguida com o arado de pau, puxado pelas vacas, enterrasse os grãos, ao mesmo tempo andam pessoas com engaço a alisar a terra e tirar alguma erva seca que tenha ficado.

 

O engaço-Janeiro/Fevereiro

O engaço do trigo é feito com um engaço, quando o inverno começa a abrandar e consiste em mexer a terra para que o trigo ganhe nova força e também arrancar algumas ervas que tenham nascido, posteriormente com o mesmo ençaço, coasse todas as ervas para a borda, ou fundo do terreno semeado.

 

 

Carro de vacas

 

 

Acartar o estrume-Pode ser em qualquer altura

Acartar o estrume das lojas dos animais é feito com o carro de vacas, o estrume é para estrumar as lameiras que não produziram nada durante o ano anterior, apenas foram pasto para o gado ou deram feno. Depois junta-se o estrume com tojo roçado no monte e faz-se uma meda quadrada num canto do terreno para ficar a curtir até as bessadas.

 

As bessadas-Abril /Maio

As bessadas inicia-se em Abril e Maio, primeiro fazem-se os cabedulhos, que consiste em cavar com a enxada o fundo  e cantos da lameira onde a charrua puxada pelas vacas não consegue chegar, depois é lavrado o terreno e as pessoas andam atrás a desfazer as leibas que a charrua deixa, em seguida espalhasse o adubo pelo terreno lavrado e semeiam-se as batatas ou milho, as batatas faz-se um buraco com a enxada e colocasse a batata, seguido de outro e outroaté todo o terreno etar semeado, se for milho, é semeado ao lanço, depois passa-se a grade para enterrar o milho, se algum ficar de fora, com chuço espeta-se na terra e coloca-se lá o milho, e tapa-se.


Sacho-Maio/Junho

Sacho é feito com um sacho, quando as batatas ou milho já nasceram, consiste em  cavar a terra e tirar as ervas que nasceram a volta deles, aí também se pode retirar os pés de milho que estiverem juntos, para que os que ficam ganhem mais força.

 

Empalhar-Maio/Junho

As batatas e milho são empalhadas, para depois se poder regar e a água não levar a terra, já que os terrenos em Vila Lobos são muito inclinados, a palha mete-se entre as batateis ou por entre o milho.

 

A rega-Maio até Setembro

 A rega, fas-se da seguinte maneira, abre-se um rego do cimo ao fundo da lameira, e depois uns regos para cada lado na horizontal chamadas belgas, este conjunto chama-se torna, se o terreno for estreito só se abre um rego na vertical numa borda e depois vários na horizontal, se for largo tem que se fazer mais do que uma torna. No regos horizontais abrem-se uns talhadouros,  de maneira adequada a que consiga regar todo o terreno, numa semana abrem-se os talhadouros, na semana seguinte atalhasse e assim sucessivamente durante mais menos 8 ou 9 semanas, até as batatas estarem vingadas.

 

A colheita-do feno-Junho

A colheita do feno faz-se em Junho, corta-se o feno com a gadanha e deixa-se ficar a secar, passados uns dias vira-se para secar do  lado oposto, depois de seco acartasse para os palheiros com o carro das vacas, que vai ser o alimento das vacas e outros animais durante o inverno rigoroso.

 

A segada-Julho/Agosto

A segada é feita no inicio do Verão quando o trigo ou centeio estivem secos, o objectivo é segar o com uma ceitoira e colocar em paveias para acabar de secar, passado uns dias junta-se as paveias e faz-se uns molhos, atados com o mesmo trigo ou centeio, depois colocam-se em rolheiros, que é feito em camadas de molhos com a espiga virada para o inerior, ou então em pé com a espiga virada para cima, aí ficam até a carreta.

 

A carreta-Julho/Agosto

A carreta é acartar o trigo e o centeio das lameiras para a eira com carro de vacas, para depois se emedar, é muito dificil de fazer quando a meda já esta muito alta, ter que atirar com o molho para do carro para o cimo da meda, e muitas vezes vêm ter cá em baixo.

 

A malhada-Julho/Agosto

A malhada; depois de o trigo já estar todo na eira, é hora de malhar, a malhadeira é uma máquina que separa o grão da palha, e é escolhida, a que fizer mais barato, não em dinheiro mas em percentagem de trigo (chamada maquia) é que o dono da malhadeira leva, a malhada é feita da seguinte maneira: Um dia a povoação junta-se quase toda para ajudar a malhada de um, depois ajudam outra e assim sucessivamente até estar tudo malhado na aldeia. Há malhadas de um dia ou mais e também há malhadas de horas. Um ano a malhadeira começa do cimo da povoação, no ano seguinte começa do fundo. Então começa a malhada, estando já o dono  do trigo preparado para o fazer, com os sacos e os bençilhos,  então começam,  a desmanchar a meda, metendo os molhos na malhadeira, fazendo esta a separação do trigo para os sacos,  a palha sai na frente para ser atada em novos molhos, para ser levada para o palheiro ou para uma outra meda. O grão esse acartasse as costas para uma caixa de madeira, onde vai ficar até ser vendido e outro é para semear outra vez. E assim continua outra malhada, até que essa eira fique vazia, passando depois para outra eira, até que todo o trigo esteja malhado.

 

A arranca-Agosto/Setembro

Após os rebuleiros ficarem secos, dá-se início à arranca, começando lavrar a terra com arado de pau para não cortar as batatas, a seguir as pessoas vêm atrás separando as raízes das batatas, formando carreiros ao longo do terreno, quando já estiver uma quantia boa arrancada as mulheres vão apanhar e escolher as batatas, separando em sacos diferentes as graúdas, as da semente e as miúdas, também as cortadas com a enxada, depois de ensacadas, são transportadas para a loja, formando grandes montes, as batatas graúdas são  para vender a maior parte, outras para consumo, as da semente para voltar a plantar, as miúdas são para os animais e por fim as cortadas são para consumir em primeiro lugar.

 

A colheita do milho-Setembro

Depois de o milho ficar seco, chega a hora de o apanhar,  cortando as canas rentes ao chão,  sendo transportado no carro das vacas para a loja, para depois desfolhar, espigas para um lado canas e folhelho para o outro, as canas e folhelho, vão também servir de alimento aos animais as espigas de milho são colocadas uns dias ao sol para acabar de secar.

Depois de bem secas segue-se o serão, é feito ao fim do dia, e prolongam-se pela noite fora, é realizado em casa de cada um, com grupos de pessoas sentadas à volta dos montes das espigas de milho, separando o milho grão do casulo, é feito com um furador, um trabalho leve é fácil de executar, depois de separado o grão de milho vai uns dias ao sol secar para depois se arrumar numa caixa de madeira.

 

Nota: Para que não entendeu alguma prenuncia, fica aqui o significado delas.

 

Bencilhos ------Atilhos para atar os molhos.

Bessadas ------Lavrar os terrenos e semear

Cabedulhos ---Cantos do terreno onde a charrua não chega.

Casulo---------- Parte da espiga de milho já sem grão.

Emedar--------- Fazer uma meda.

Engaço ---------Ancinho.

Leibas ----------Porção de terra deixada pela charrua quando lavra.

Lameira --------Terreno onde se cultiva.

Malhadas ------Separar o grão da palha.

Paveia --------- Trigo estendido no chão com espiga para o mesmo lado.

Rolheiros -------Varia camadas de molhos de trigo.

Sacho -----------Enxada mais estreita

Segada ---------Ceifar o trigo ou centeio.  

Segar -----------Ceifar.

Seitoira -------- Foice.

Talhadouros ---Desvio que se faz no rego para a água ir para um determinado sitio.

 

Hoje em dia, já não se fazem estes trabalhos, uma vez que a emigração; a migração e a desertificação chegaram em abundancia a Vila Lobos, e as pessoas só cultivam para consumo.

 

Assim que poder coloco fotos.

Sábado, 23 DE Julho DE 2011

Origem do nome Vila Lobos

Vila Lobos, antes de ter este nome actual, chamava-se Vale de Lobos,  porque  há muitos anos atràs, que não sei precisar, por não ter conhecimento de nenhum registo, mas sim pelo que contavam as pessoas mais idosas, que por haver muitos lobos nesta zona, daí ter esse nome, mas com o tempo foram chamando Vila Lobos e assim ficou com este nome de Vila Lobos.

Publicado por Vila Lobos às 16:09
Quinta-feira, 21 DE Julho DE 2011

Nevão no inverno 2010/2011

Aldeia de Vila Lobos coberta com um manto branco

 

Apesar do frio fica muito bonita

 

 

As ruas vestidas  de branco

 

Neve à porta da capela

 

Publicado por Vila Lobos às 18:44
Quinta-feira, 14 DE Julho DE 2011

Senhor dos Aflitos

 

 

 

O senhor dos Aflitos é o padroeiro de Vila Lobos, já há muitos e longos anos que não fazem as festividades em sua honra, a razão talvez seja já não haver  moradores suficientes para levar a cabo essa tradição.

Publicado por Vila Lobos às 20:49
Quinta-feira, 14 DE Julho DE 2011

Casas Típicas de Vila Lobos

 

 

 

 

Publicado por Vila Lobos às 17:38
Quarta-feira, 13 DE Julho DE 2011

Capela do Senhor dos Aflitos

 

 Interior, nossa senhora das Dores e senhor dos Aflitos.

 Missal

 Pia da água benta.

Publicado por Vila Lobos às 17:39
Segunda-feira, 11 DE Julho DE 2011

Vila Lobos actual

 

 

 

 

Publicado por Vila Lobos às 21:20

Pesquisar

 

Postagens mais comentados

Comentários recentes

  • Sou de vila lobos
  • Parabéns, Vila LobosSou natural de Penude.É com mu...
  • Coloquei três imagens no artigo
  • OláPassei aqui para saber se conseguiu carregar as...
  • Mais uma vez obrigado estas tradições fazem-nos re...
  • Quem sabe nunca esquece, estes termos servem para ...
  • Muito obrigado pelo apoio, pois digo-lhe que Fazam...
  • É assim que que se dá a conhecer as tradições de c...

Julho 2011

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
12
15
16
17
18
19
20
22
24
25
27
28
30
31

Freguesia e Conselho

Brasão da freguesia de Magueija e do concelho de Lamego

subscrever feeds

blogs SAPO


Universidade de Aveiro